Suscribete

  • Suscribete a Novas CESGA

HPC User Portal

  • HPC User Portal

Estado dos sistemas

  • Solo visible desde Firefox o Chrome.

Compromisso com a igualdade

  • Igualdad CESGA

6º Foro Transfiere 2017

NOVO RECORD MUNDIAL EM SUPERCOMPUTACIÓN ELECTROMAGNÉTICA: 620 MILHÕES DE INCOGNITAS. [Tradução automática]

 1 voto(s)

terça-feira 12/01/2010 00:00

A colaboração entre centros autonómicos produz os melhores resultados.

O Grupo Electromagnetismo Computacional HEMCUVE, formado por investigadores das Universidades de Extremadura e Vigo, junto com o Centro Estremeño de Investigação, Inovação Tecnológica e Supercomputación (CénitS) voltaram bater o record de computação electromagnética no novo Supercomputador estremeño, Lusitania, ao resolver 620 milhões de incógnitas.

Este record supera ao anterior, de 500 milhões de incógnitas, batido meses atrás pelo mesmo grupo de investigação no Supercomputador FinisTerrae do CESGA.
Conseguir este repto é fruto das numerosas achegas científicas do grupo, e põe de manifesto a importância da colaboração entre centros autonómicos como o CESGA e o CénitS.

Para conseguí-lo utilizaram-se os 256 núcleos de processamento de Lusitania, 1.6 TB de cor principal e um total de 20 horas de uso do Supercomputador. O problema resolvido servirá para modelar o comportamento electromagnético de um automóvel a frequências de 79 GHz, de forma rigorosa. Os dados da análise realizada servirão de base para o desenho dos novos sistemas de segurança automobilística (tanto de sistemas anticolisión como sistemas de guiado ou sistemas radar), para os que a União Européia asignou a banda de 79GHz.

O grupo HEMCUVE, recebeu em 2009 os prêmios internacionais PRACE e Itanium Innovation pela seu contributo ao electromagnetismo em supercomputación. O grupo está liderança pelos professores José Manuel Taboada e Luis Landesa na Universidade de Extremadura e por Fernando Obelleiro e José Luis Rodriguez de la Universidad de Vigo. No desenvolvimento destes reptos hão participados os técnicos e investigadores do CESGA e do CénitS.
Valorar: