Tradución xerada automaticamente.
A política de uso aceitável aqui descrita é de obrigado cumprimento a todos os centros adcritos à Rede de Ciência e Tecnologíad da Galiza (RECETGA).
 
  • DEFINIÇÕES e CONDIÇÕES PRELIMINARES
  1. RECETGA é o nome que engloba a um conjunto de serviços e infraestruturas de rede que dão suporte aos requisitos de comunicações da rede de investigação na Galiza.
  2. As organizações conectadas são aquelas que o CESGA, depois de uma análise preliminar de condições administrativas e técnicas, define como elegíveis para se ligar a RECETGA. Ditas organizações dispõem de permissão para aceder exclusivamente a sítios conectados a RECETGA, isto é, não dispõem de permissão de trânsito desde RECETGA a outras redes.
  3. Aquelas instituições conectadas que adicionalmente cumpram os critérios de adesão de RedIris poderão aceder aos serviços que disponha a rede nacional de investigação, como são trânsito ao resto de resdes de investigação a nível internacional e acesso a redes comerciais. 
  4. Organizações conectadas devem cumprir as políticas de uso aceitável descritas no presente documento.
  5. É responsabilidade das organizações conectadas o assegurar que os membros das suas próprias comunidades utilizam os serviios de RECETGA de forma aceitável e de acordo à legislação vigente.
  6. As organizações conectadas a RECETGA devem estabelecer a sua própria política de uso aceitável de modo que seja compatível com as condições expressas nesta política. 
  7. Uma organização conectada pode estender dito serviço a outras organizações de forma limitada desde que estejam sujeitas aos mesmos preceitos aqui descritos e dito serviço seja dado sem custo.
  8. Nenhuma organização ou utente pode revender capacidade de rede de RECETGA ou serviços entregues por RECETGA a terceiros sem o acordo prévio de RECETGA.

  • LEGALIDADE

Os serviços que se oferece o RECETGA, auspiciados e financiados por [...] ficam submetidos às condições e aos requisitos que se estabelecem no documento de pedido e nos seus Anexos bem como ao ordenamento jurídico vigente que resulte, na cada momento, de aplicação.

As instituições filiadas comprometem-se a não aceitar nem estimular práticas ilegais.

Ademais, as instituições filiadas velassem especialmente para proteger:

  1. A ordem pública: para evitar que o RECETGA seja um veículo de mensagens que incitem ao uso da violência ou à participação em actividade delictivas.
  2. A dignidade humana: para impedir qualquer classe de discriminação social, religiosa, étnica, cultural, política, sexual ou por discapacidade física ou psíquica.
  3. A vida privada: para preservar os direitos e as liberdades fundamentais, tutelando a vida privada, os dados pessoais e o segredo epistolar.
  4. Os menores: para recusar a sua utilização, especialmente com objetivos sexuais, e para manter uma atitude de cautela na difusão de conteúdos potencialmente nocivos para a infância.
  5. O consumidor: para respeitar os princípios de transparência e acessibilidade, submetendo aos regulamentos de proteção do consumidor.
  • HONRADEZ

As instituições filiadas deverão utilizar corretamente os recursos públicos que RECETGA lhes fornece, facilitando o acesso à infraestrutura de rede unicamente ao pessoal autorizado e denegándolo a pessoas ou organizações alheias à instituição.

O pessoal autorizado deverá usar a infraestrutura e os serviços de RECETGA para as atividades académicas e de investigação, desenvolvimento e inovação tecnológica, incluindo as tarefas administrativas sócias.
Os utentes também deverão utilizar eficientemente a rede, com o fim de evitar na medida do possível a congestión da mesma. Em nenhum caso considera-se aceitável desenvolver atividades que persigam ou tenham como
consequência:

  1. A criação ou transmissão de material que prejudique a dinâmica habitual dos utentes de RECETGA.
  2. A congestión dos enlaces de comunicações ou sistemas informáticos.
  3. A destruição ou modificação premeditada da informação de outros utentes.
  4. A violação da privacidade e intimidem de outros utentes.
  5. O deterioro do trabalho de outros utentes.

Também não deverão, baixo nenhum conceito, usar RECETGA para fins privados ou pessoais, fins lúdicos e fins comerciais, alheios às atividades próprias da sua instituição.

  • CONFIDENCIALIDADE

Na sua atividade ordinária na rede, os utentes terão direito a preservar o seu anonimato. Não obstante, RECETGA recomenda às instituições filiadas que estabeleçam os mecanismos pertinentes para poder identificar, em caso necessário, a(s) terminal(é) que estão a atuar através da rede.

  • PROPRIEDADE INTELECTUAL E INDUSTRIAL

As instituições filiadas reconhecerão, respeitarão e defenderão o direito dos autores às suas criações intelectuais e industriais, de acordo com o regulamento vigente.

  • RESPONSABILIDADE

As instituições filiadas deverão dar a conhecer aos seus utentes os objetivos de RECETGA e os termos e as condições do seu uso enunciadas neste documento. Também deverão assumir a responsabilidade de velar pelo seu cumprimento.